São cartas Senhor, são cartas! Depois de tocar a campainha, algo acontece. Não é o carteiro, mas há uma carta por abrir.

.posts recentes

. Ironia da realidade - Men...

. A ironia da democracia em...

. Não tenho paciência para ...

. Não tenho paciência para ...

. Não paciência para merdas...

. Ñão tenho paciência para ...

. Love in trash can

. End of watch

. O pecado numa dentada de ...

. Hotel Georgian

.arquivos

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.links

Domingo, 26 de Junho de 2005

Bloco de Esquerda diz que

Estes tipos do Bloco de Esquerda realmente devem ter a cabeça frita com tantas brocas. Quem conhece a minha orientação política, sabe que digo isto com imparcialidade ideológica. As declarações da deputada “Ana Drago” (prova acabada das consequências do sistema de quotas... lol, isto sim, mera provocação gratuita) sobre o arrastão na praia de Carcavelos dão-me vontade de esquecer a minha máxima de “não violência”. Só uma cegueira ideológica pode justificar que uma deputada (tenha isso o valor que tiver) tenha o desplante:” que "não houve "arrastão", houve talvez furtos, mas o que aconteceu foi uma fuga de jovens de uma carga policial indiscriminada". E mais "A análise da fabricação do alarmismo é sempre importante. Muitos jornalistas, comentadores e cidadãos estão hoje a fazê-la", A alternativa são "políticas de integração social e integração urbana ambiciosa" para combater o "Rio de Janeiro que vai crescendo em torno de Lisboa". Admitiu ainda que "deixar perdurar o sentimento de insegurança é insustentável", até porque quem o sofre são principalmente "os pobres e os remediados".
Ora quem sofre são todos os portugueses que pagam para estes “fdps” se juntarem no circo da Assembleia da República para brincarem ao “eu disse” e “tu disseste” (infelizmente, sem o sentido poético do Adolfo Luxúria Canibal). Mas em que p*** de realidade é que essa croma vive? Quem é que está a tentar manipular? Se ela não vivesse em Lisboa, eu ainda era capaz de compreender, mas será possível convencer alguém na capital que não existe um sério problema de segurança com gangs que precisa de ser urgentemente resolvido? São declarações deste género que acabam por dar força aos radicalismos de direita, num ciclo vicioso de demagogia.
Integração social e urbana ambiciosa? Será qualquer coisa como dar a outra face? Eu pensava que estes bloquistas eram todos ateus. Vão-se mas é f++++. Caros jovens delinquentes, um conselho amigo: em vez de incomodarem os cidadãos deste país, que com o seu suor pagam impostos supostamente para que o Estado garanta a sua segurança, combinem realizar uns arrastões ali para os lados de S. Bento, apanhando nas redes o pessoal do BE (são fáceis de reconhecer, pelo seu pseudo-estilo alternativo). É que é só vantagens para vocês:
• Em vez de cometerem furto, estão a pôr em pratica uma política de integração social e urbana ambiciosa;
• Tendo em conta o perfil sócio-económico dos bloquistas, o produto do assalto será substancialmente mais interessante do que aquele que obtiveram em Carcavelos, e com alguma sorte, ainda arranjam umas boas doses de “estupefacientes politicamente correctos”;
• Não se precisam de preocupar com as autoridades policiais, porque de certeza que os bloquistas não vão querer desencadear “uma carga policial indiscriminada”;
• Poupam chatices com processos em tribunal e desta forma participam num substancial descongestionamento dos tribunais portugueses;
• Na eventualidade de algum bloquista resistir ao furto, não hesitem em recorrer à violência, afinal estarão apenas a libertar os recalcamentos raciais, culturais e sexuais da sociedade.
Para facilitar o “arrastão bloquista”, (ou a política urbana de integração), mudem-se para o centro da cidade de Lisboa, acho que o Francisco Louça tem uma casa na Duque de Loulé, estou certo que terá muito prazer em vós dar acolhimento (até pela experiência adquirida com os terroristas da ETA).
Portugal agradece….
publicado por O Carteiro às 14:46
link do post | favorito
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.links

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds