São cartas Senhor, são cartas! Depois de tocar a campainha, algo acontece. Não é o carteiro, mas há uma carta por abrir.

.posts recentes

. Ironia da realidade - Men...

. A ironia da democracia em...

. Não tenho paciência para ...

. Não tenho paciência para ...

. Não paciência para merdas...

. Ñão tenho paciência para ...

. Love in trash can

. End of watch

. O pecado numa dentada de ...

. Hotel Georgian

.arquivos

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.links

Quinta-feira, 6 de Abril de 2006

Por mim

A tempestade destruiu


O meu abrigo


E fiquei mutilado


Pelo tempo


E pela minha ignorância


Do julgamento.


Uma infância esquecida


Numa folha dobrada


Em tentativas


E palavras perdidas.


O regresso da chuva


Trouxe o vento


E a incerteza


Das sementes.


A água ficou turva


E a respiração suspensa


Na angústia


De voltar a perder


O momento.


Eu não sofro,


Eu estou a sofrer.

publicado por O Carteiro às 23:27
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 4 de Abril de 2006

Curva

Curva


 


Desfez-se a curva


E segui em frente,


Para lado algum,


Para sítio nenhum.


O plano era este


E ganhei a aposta


De ser alguém


Tal como ninguém.


A ponte ruiu


No leito ardente,


Sem qualquer margem,


Sem qualquer passagem.


Deixei de respirar


Para deixar morrer


Aquilo que é indolor


Na sombra fria da dor.


 


 

publicado por O Carteiro às 23:54
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 3 de Abril de 2006

Top 5 songs

Respondendo ao desafio da minha " matrioska", aqui vai o meu top 5 músicas, com a advertência de o mesmo ser extremamente volátil (isto quer dizer, se me perguntarem amanhã por ele, vai sair uma coisa completamente diferente, ao ponto de vocês ficarem a pensar que eu tive mais uma amnésia alcoolica!!):


1- Today (Smashing Pumpkins) - eu sei, aparentemente demasiado óbvia, mas quem conhece o sabor agri-doce desta canção, não vai achar tão estranho assim!


2- Never is a promise (Fiona Apple) - linda, linda.. responsável por algumas lágrimas fugidias...


3- Unchained (Johnny Cash) - arrepiante... um hino...ainda há pouco tempo, transcrevi a letra. Os mais distraídos podem aproveitar o momento para visitar esse meu postal! 


4- Push it (Tool) - música e letra sublimes.. já estou a fazer figas para que os Tool toquem essa no próximo dia 26


5-All apollogies (Nirvana) versão in utero, claro!! Outro hino ... às pessoas como eu!!


Comentem à vontade!!

publicado por O Carteiro às 19:04
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Facebook

José Almeida is a fan of

The Big Church of FireThe Big Church of Fire
Create your Fan Badge

.Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.links

.contador

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds